Wednesday, July 09, 2008

Festival de Besteiras



Parodiando Sérgio porto, o FEBEAARCO - Festival de Besteiras que Assola a Arte Contemporânea - continua. Desta vez a notícia vem de Londres. Uma instalação do artista inglês Martin Creed consiste no seguinte: um atleta atravessa correndo uma galeria a cada 30 segundos.

A instalação, intitulada Obra Número 850 (imagine as outras 849…) está sendo patrocinada pela Sotheby’s e foi inaugurada no dia 1 de julho, na galeria de escultura neoclássica do Museu Tate Britain.

Vale a pena ler a explicação de Creed, que recebeu em 2001 o Turner Prize, por outra instalação - uma sala vazia em que uma luz se acendia e apagava (esta foi a Obra Número 277):

“Gosto de correr. Correr é o oposto de ficar parado. Se você pensar na morte como sendo a imobilidade total e no movimento como sinal de vida, então o movimento mais rápido possível é o maior sinal de vida. Assim, correr rápido é como o oposto exato da morte: é um exemplo de estar vivo.”

Já o diretor do museu, Stephen Deuchar, afirmou que a obra “derruba qualquer idéia preconcebida sobre a maneira apropriada de se percorrer um espaço de arte”.

O Tate Britain faz um alerta aos visitantes: “Por motivos de segurança, pedimos que o público não corra ou crie obstáculos aos corredores.”

Comentar o quê? Não sei o que é mais imbecil, se a explicação do artista ou o comentário do diretor do museu.

11 comments:

ronald said...

Realmente a arte contemporânea se encontra nesse estado lastimável do n'importe quoi. Me questiono o que podemos fazer para tentar mudar essa situação.Até quando a arte deve se submeter a questões mercadológicas? Será que existe uma luz no fim do túnel? De qualquer forma o seu blog é muito útil por tentar abrir os olhos de toda uma geração pós duchampiana é sobretudo andy wharolna( desculpa o termo) que é ludibriada por toda a mídia e todo o sistema fétido que engloba a arte de hj.

ronald said...

Realmente a arte contemporânea se encontra nesse estado lastimável do n'importe quoi. Me questiono o que podemos fazer para tentar mudar essa situação.Até quando a arte deve se submeter a questões mercadológicas? Será que existe uma luz no fim do túnel? De qualquer forma o seu blog é muito útil por tentar abrir os olhos de toda uma geração pós duchampiana é sobretudo andy wharolna( desculpa o termo) que é ludibriada por toda a mídia e todo o sistema fétido que engloba a arte de hj.

ronald said...

Realmente a arte contemporânea se encontra nesse estado lastimável do n'importe quoi. Me questiono o que podemos fazer para tentar mudar essa situação.Até quando a arte deve se submeter a questões mercadológicas? Será que existe uma luz no fim do túnel? De qualquer forma o seu blog é muito útil por tentar abrir os olhos de toda uma geração pós duchampiana é sobretudo andy wharolna( desculpa o termo) que é ludibriada por toda a mídia e todo o sistema fétido que engloba a arte de hj.

ronald said...

Poutz
Olha a cara do imbecil.
Quem ele quer enganar??
O pior que com certeza ele tem um forte marchand por trás e ganha a vida vendendo merda de artista, muito depois de Manzoni.
Lastimável

Ananda said...

Prezado Luciano esta foi ótima !!
FEBEAARCO - Festival de Besteiras que Assola a Arte Contemporânea !
Realmente, "nunca antes neste país" e neste mundo tbm...aparece cada "coisa" que se diz "arte".
Muito obrigado pelo privilégio de ler o seu blog!
Grato!
Henrique Neiva
www.henriqueneiva.blogspot.com

Bruno Porto said...

Luciano, parabéns pelo blog e pelos comentários, na medida certa de tudo: clareza, inteligência, bom humor e indignação.

Você teria um prato cheio em algumas exposições do MOCA de Xangai.

http://www.verbeatblogs.org/lotoazul/

XTO said...

Ia ser bem loco correr junto com o cara.

L.S. Alves said...

Creio que mais imbecil é quem vai assistir isso e ainda achando que adcionou cultura a sua vida.

Blogildo said...

Ele deveria comentar com um suscinto: Dãããããããããã!

Blogildo said...

Ele deveria comentar com um suscinto: Dãããããããããã!

tetosdeparis said...

e agora eu faço o quê? morro de rir da estupidez dessa obra que ele consegue explicar de uma forma tão rasa que até dói ou eu choro mesmo e sinto vergonha por estar na classe dos artistas contemporâneos e agora vou ter que me esforçar em dobro pra conseguir convencer alguém de que o que eu faço é arte? podia mandar matar esse aí.